segunda-feira, 19 de julho de 2010

Vi você.

Hoje te vi sorrindo.
O mesmo riso, o mesmo jeito.
Como se nada houvera.
Deste lado da janela
contemplei o mar de gelo.
Caminhei pelo deserto.
Ouvi o pio da cotovia.
Eu te via.
Alheio, falavas de suas dores.
Sem questionar sobre meus dias.
E eu só queria
ver no seu olhar
a minha imagem refletida.
Ah, que bom! Sim.... sim!
Completamente!
Estou feliz com sua alegria.
Mas, será que me vias?

6 comentários:

Machado de Carlos disse...

Para o dia Do AMIGO:

Ouve!...
Machado de Carlos

Agradeço de coração, alma boa,
Tuas palavras de amizade pura;
A envolver-me nas as horas de amargura
Com tua mensagem que aperfeiçoa.


Quando o cimento oculta e me aguilhoa
Neste limo e de pedra muito dura
Chegas de mansinho...encontro cura!...
—Como lhe agradecer a verbo que abençoa?


Com tua mão perfumada esqueço a dor,
E vivo neste orbe, farto de amor!...
Como é bom ter o teu ombro cristalino!


Tua amizade é a luz do meu mundo,
Com ela perco-me num sonho profundo!...
—Que Deus te abençoe, alma que me ilumina!...

henrique disse...

Surpreendentemente sensíve e articulado.Parabens.
avohai

Uma aprendiz disse...

Belíssimo, Machado.

Obrigada pela visita e pelo poema.

Volte mais vezes.

abraços

Uma aprendiz disse...

Oi, Henrique

que alegria sua visita.

Obrigada!

Volte sempre.

abraços

Ana Maria disse...

Poema encantador!
Beijinhos!

Uma aprendiz disse...

Oi, Ana

Obrigada.

Volte mais vezes.

beijos