quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Perda

Quando

o medo

de perder

é maior

que o riso

Talvez

seja hora

de dar

linha a pipa

se aquietar

no silêncio

e esperar

Que o vento

leve o que tem que ir



22/10/09

12 comentários:

Ava disse...

Que delícia de poema... Justamente sobre o que falo... Não podemos ter medo de perder... porque não temos ninguém... Compartilhamos nossa vida, por algum tempo com alguém... mas não somos donos desse alguém...logo, medo de perder, é loucura...


Beijos!

Majoli disse...

Li tua poesia e me veio a lembrança uma conversa minha e de meu filho mais velho.
Lhe disse eu:"Tenho tanto medo de perder o Artur"
Ao que ele me respondeu: "Perder mama? Como? Nada é nosso eternamente, tudo tem seu tempo"

Mas mesmo assim eu ainda tenho medo das perdas em minha vida, sei lá.

Beijos no ♥

Uma aprendiz disse...

Oi, Ava

você tem toda razão, mas mesmo assim da um medãoooo kkkk

beijos, querida

Uma aprendiz disse...

Majoli,

todos nós somos vitimas desse medo.
Ninguem gosta de perder.... nada.


beijos e bom fim de semana

♥ ♥ Eu disse...

Eu acho q todas nós temos esse medo...

Gostaria de te deixar o "Selo Amigo fiel", está na lateral do blog, com imenso carinho.

mil beijos!

Rosa disse...

Obrigada, moça


mil beijos pra vc

O Profeta disse...

Parei na viagem de rumo e estrelas
Sentei-me à beira de uma lagoa sussurrante
Um Milhafre fitou-me zombeteiro
Hesitei na procura do adiante

Na ilha há sempre uma criatura em vigília
Há sempre um feiticeiro vento
Há sempre uma flor que a alma seduz
Há sempre no acontece um mágico momento




Doce beijo

Anônimo disse...

O medo é uma coisa que não podemos evitar,temos medos de perdas,medo do amanhã,medo até de viver,pq o mundo só tem violencia. Um beijo
Pés

O Sibarita disse...

Realmente assustador! O vento levar o que tem que ir é? kkkkkkkk


Ta bom! kkkkkkkkkkkkkkkkk

Belo poema!

O Sibarita

O Profeta disse...

Frias pedras, negro basalto
Sentinelas do receio à tempestade
Testemunhas da viajem do tempo
Cobertas de sal, guardiãs da verdade

Mas, não há duas reais verdades
Não há rios que correm para o alto
Não há amor num coração que mente
Não há ternura sem viver o momento


Vem viver a minha cidade inventada


Doce beijo

Bandys disse...

Simplesmente amei!!
Voce não tem noção o quanto aprendo aqui..

Hoje aprendi sobre a coragem.

Beijos meus..

cristal de uma mulher disse...

Amiga que bom te encontrar olha seja seguidora do www.rachelrochaomena.blogspot.com
Para mim vai ser maravilhoso ter-te em meus bloggeres