segunda-feira, 18 de junho de 2012

Ausente

Encruei

Quando seus olhos
deixaram de mirar os meus


Sigo ao leu,
ausente de mim.


Me busco
no breu do espelho
sem reflexo.


Ai de mim, sem ti.

4 comentários:

O Sibarita disse...

Ô dona moça! Deixou nada! Não é impressão sua não?

Você não está ao leu não, repare... Tá tudo aí tão bom, no bem bom, né não? kkkkkk

Ai de lá ele sem ti! kkkkkk

Porta seu poema mesmo triste! Fique assim não, sorria!

O Sibarita

O Sibarita disse...

Ô moça, como foi de São João? Não vai mais ao Sibarita por que?

O Sibarita

Bandys disse...

Ola:
Tanto tempo hein?
Sera que se lembra de mim?

Adorei o poema, triste mais belo.

Olhos que não se olham deixam ausentes pedaços de amor.

Beijos querida,
boa noite

Lola disse...

Eu me identifiquei com o teu estilo. É parecido ao meu. Vem dar uma olhada no meu blog e diz se não é.
Lola