terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Só hoje

A saudade é tanta que reli teus versos
Procurei nas rimas os teus passos
Mas não li nelas os teus abraços
Nem senti o mel dos teus beijos

Por onde anda os teus encantos,
Outrora estampados nos meus olhos?
Sim, a saudade é pássaro que não vôa
Nem são doces as noites livres de ti

Meus lábios ruminam as palavras
No anseio de encontrar teus ais
Meus pés e meus sentindo paralizam
Mas vai rasante o grito do meu coração

Ai de mim, o horizonte foge espantado
Na solitude do silêncio...

4 comentários:

Ava disse...

Etel, querida!
Hoje mergulhei em tuas poesias...
Merguhei sem cilindro e oxigêncio..
Olha, está tudo lindo! De perder o fôlego a paixão e sensibilidade que exala de tuas palavras...

Beijos e carinhos meus...

E claro, muitas saudades!

José Vitor disse...

Saudade!... Lugar comunitário do coração!
"Sim, a saudade é pássaro que não vôa
Nem são doces as noites livres de ti"

Abraços, visto que percebo felicidade em teu blog.

Anônimo disse...

Excelente, linda poesia! Vc grande poeta, escreve muito bem, verte em palavras todo sentimen, a paixão e o desejo! Parabens!

Anônimo disse...

Excelente poema! Embora saudoso, é muito bonito... Voce escreve tão bem que envolve o leitor e quando isso acontesse é sinal que a escrita, o texto, a poesia atingiu o seu objetivo, parabéns!